Parlamento palestino aprova cargo de primeiro-ministro

O parlamento palestino aprovou, em votação final, a Lei Básica, pela qual foi criado o cargo de primeiro-ministro. A lei aprovada não prevê, no entanto, a ratificação pelo presidente dos indicados pelo primeiro-ministro para ocupar os demais cargos no governo. A emenda, defendida pelo líder da Autoridade Palestina, Yasser Arafat, foi retirada após negociações. Ontem, o parlamento vetou a lei por causa deste adendo. Segundo os parlamentares, como o primeiro-ministro é indicado pelo presidente, não há necessidade de que os membros de seu governo recebam aprovação presidencial. A lei aprovada abre caminho para novas reformas no governo palestino, uma demanda dos EUA para dar andamento ao processo de paz com Israel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.