Parlamento queniano elege oposicionista como líder

O Parlamento queniano elegeu naterça-feira Kenneth Marende, do Movimento Democrático Laranja(ODM, oposição) como presidente, num duro golpe para opresidente Mwai Kibaki. Marende foi eleito com maioria simples, em terceiro turno,com 105 votos, contra 101 do governista Francis ole Kaparo,atual presidente do Parlamento. O resultado mostra que Kibaki,reeleito em dezembro sob acusação de fraude, deve terdificuldades para aprovar projetos. O ODM tem 99 das 222 cadeiras. O Partido da UnidadeNacional (governista) tem 43 deputados, mas tenta arregimentaraliados. Durante a sessão, alguns deputados juraram obediência aolíder oposicionista e candidato derrotado Raila Odinga,tratando-o como presidente do país, no lugar de Kibaki. O ex-secretário-geral da Organização das Nações Unidas(ONU) Kofi Annan, que deveria chegar na terça-feira para tentarmediar a crise, adiou a missão em vários dias por causa de umagripe, segundo assessores. Treze países doadores, além de União Européia e da ONU,ameaçaram em nota retirar a assistência direta ao governo casohaja "enfraquecimento [de seu compromisso com] a boagovernança, a democracia, o estado de direito e os direitoshumanos". Protestos após a eleição causaram cerca de 600 mortes edespertaram rivalidades étnicas no Quênia, até então o paísmais próspero e estável da região. (Reportagem adicional de Duncan Miriri, Bryson Hull, KatieNguyen, Nicolo Gnecchi em Nairóbi; e Laura MacInnis e StephanieNebehay em Genebra)

BRYSON HULL E BARRY MOODY, REUTERS

15 de janeiro de 2008 | 20h08

Tudo o que sabemos sobre:
QUENIAPARLAMENTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.