Parlamento russo aprova controversa lei de segurança

O Parlamento russo aprovou hoje uma controversa lei ampliando o que grupos consideram como o já elevado poder do serviço de segurança russo, sucessor da KGB da era soviética. No total, 354 deputados aprovaram a lei, em sua votação final, e 96 congressistas se opuseram a ela.

AE, Agência Estado

16 de julho de 2010 | 16h12

O presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, afirma que a lei foi criada para aprimorar a legislação já existente. Com as novas normas, o Serviço Federal de Segurança tem o poder de emitir alertas oficiais contra indivíduos cujas ações podem ser consideradas como capazes de criar as condições para um crime. Indivíduos que forem considerados culpados por atrapalhar um funcionário do serviço de segurança em seu trabalho também podem ser multados ou mesmo presos por até 15 dias, determina a nova lei.

Grupos defensores dos Direitos Humanos afirmam que a legislação, que na prática coloca o serviço especial de segurança acima da lei, é um retrocesso para a era soviética, quando a KGB usava suas advertências para perseguir dissidentes. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiaparlamentolei de segurança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.