EFE
EFE

Parlamento sul-coreano avança em processo de impeachment de presidente

Votação para derrubar a líder deve acontecer na sexta-feira; Park Geun-hye é acusada de corrupção e tráfico de influência

O Estado de S.Paulo

08 Dezembro 2016 | 07h48

SEUL - O Parlamento da Coreia do Sul apresentou um projeto de lei nesta quinta-feira, 8, para seguir com o impeachment da presidente Park Geun-hye, planejando uma votação histórica para derrubar a líder envolvida em um escândalo de tráfico de influência.

Impeachment deve ser votado na sexta-feira, embora a Corte Constitucional ainda precise decidir se mantém a moção, em um processo que pode levar até 180 dias.

Partidos da oposição disseram acreditar que conseguirão a maioria de dois terços necessária para aprovar o impedimento de Park, com o apoio de cerca de 30 membros do partido conservador Saenuri.

Park, de 64 anos, disse nesta semana que irá aguardar a decisão do tribunal, destacando que a crise política no país, que já dura seis semanas, deve continuar. A presidente é filha de um ex-líder militar e sofre intensa pressão para renunciar o quanto antes, com grandes multidões tomando as ruas da capital, Seul, constantemente em manifestações que exigem sua saída.

O índice de aprovação da presidente atingiu uma mínima recorde de 4%. Uma pesquisa da Realmeter divulgada nesta quinta-feira indica que 78,2% dos entrevistados querem o impeachment de Park.

A líder é acusada de conspirar com uma amiga e um ex-assessor para pressionar grandes empresas a fazerem doações para duas fundações criadas para apoiar suas iniciativas políticas. Ela nega qualquer ato irregular, mas pediu desculpas pelo descuido em seus laços com a amiga Choi Soon-sil. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Park Geun-hye Corrupção Impeachment

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.