Parte de aeroporto do Cairo fechará por 4 horas para poupar energia

O Aeroporto Internacional do Cairo fechará grande parte de suas pistas de pouso e decolagem por quatro horas por dia, a partir do começo de junho, para economizar energia para o governo egípcio, que está tendo dificuldade para pagar as importações do combustível necessário para as usinas termelétricas, disse o Ministério da Aviação Civil.

Reuters

30 de março de 2013 | 12h48

Os cortes de energia se tornaram mais frequentes desde a revolta que derrubou o presidente Hosni Mubarak, em 2011. Dois anos de incertezas políticas prejudicaram a receita com o turismo e pressionaram a moeda, causando um crescente déficit orçamentário.

Os novos líderes islâmicos do Egito tentam negociar uma linha de crédito com o Fundo Monetário Internacional, enquanto o país enfrenta uma escassez de recursos para a compra de combustível, causando os cortes de energia.

"O Aeroporto Internacional do Cairo fechará por quatro horas por dia a partir do início de junho, enquanto uma pista permanecerá aberta para receber quaisquer voos durante essas horas", afirmou o ministro da Aviação Civil, Wael al-Maadawi, à agência de notícias estatal.

Ele afirmou que o fechamento não terá impacto no tráfego aéreo, já que o aeroporto já vivenciou uma grande queda no número de voos, e as pistas estavam abertas, mas sem uso.

Mais conteúdo sobre:
EGITOFECHAAEROPORTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.