Partidários creem que morte de Nemtsov não tem ligação com extremismo islâmico

Partidários creem que morte de Nemtsov não tem ligação com extremismo islâmico

AE, Estadão Conteúdo

09 Março 2015 | 18h37

Amigos e partidários do político de oposição russo Boris Nemtsov sugeriram nesta segunda-feira que a sua morte não deve ter sido motivada por extremistas islâmicos e que o governo está se utilizando dessa versão para esconder os reais motivos do crime.

"A tentativa de convencer o público de que Nemtsov era uma alvo óbvio para os radicais islâmicos não resiste à crítica", afirmou à Associated Press o político liberal russo Ilya Yashin. "Esta versão é extremamente conveniente para o presidente Vladimir Putin, porque coloca ele e seu círculo de interno fora da linha de fogo."

Dias antes de sua morte, Nemtsov criticou os responsáveis pelo ataque ao jornal satírico Charlie Hebdo por meio de redes sociais, dizendo que o Islã era uma "jovem religião que ainda está em sua Idade Média e que ainda tem de enfrentar uma longa luta para derrotar a inquisição".

Cinco homens estão sob custódia por supostamente terem conexões com o assassinato de Nemtsov, sendo eles da região predominantemente muçulmana Chechênia ou de outras partes rebeldes da região do Cáucaso.

Embora a versão oficial do governo russo seja de que o ataque foi motivado por islâmicos radicais da Chechênia, apoiadores de Nemtsov contestam essa visão.

"Colocar a culpa nos chechenos nos parece ser mais uma operação de encobrimento por parte do governo", escreveu outro ativista Vladimir Milov nas redes sociais nesta segunda-feira. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Rússia Opositor Boris Nemtsov Chechênia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.