Partidários de Cháves absolvidos de acusação de massacre

Um tribunal da Venezuela absolveu nesta quarta-feira quatro partidários do governo Hugo Chávez acusados de disparar contra uma marcha da oposição. A passeata aconteceu em meio a violentos distúrbios que desaguaram numa tentativa de golpe de estado em 11 de abril de 2002. Havia uma grande expectativa em torno da sentença, pois os quatros dirigentes governistas, junto a oito policiais, são os únicos processados pelos incidentes de abril de 2002, nos quais 19 pessoas foram mortas e outras 300 feridas a bala. Depois de mais de 12 horas de sessão, o 4º Tribunal do Estado central de Aragua inocentou os acusados Rafael Cabrices, Henry Atencio, Nicolás Riviera e Richard Peñalver, que respondiam por uso indevido de arma de fogo e intimidação pública. No ano passado, em decisão preliminar, a Corte de Apelações de Aragua retirou a acusação de homicídio qualificado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.