Partidários de Lopez Obrador ocupam pedágios na Cidade do México

Partidários do candidato esquerdista Andres Manuel Lopez Obrador ocuparam por várias horas nesta terça-feira postos de pedágio ao redor da Cidade de México, permitindo passagem livre aos motoristas.A ocupação ocorreu um dia depois de o ex-prefeito da Cidade do México dizer que os protestos contra uma suposta fraude na apuração da eleição presidencial de 2 de julho, que bloqueiam o centro da capital há uma semana, vão se transformar num movimento radical de longo prazo para mudar a nação.Lopez Obrador, que acusa que houve fraude na apuração, disse a uma multidão de cerca de 5 mil seguidores na noite de segunda-feira que o movimento estava apenas começando. "Vamos iniciar um movimento para transformar as instituições da nação", discursou. "Vamos transformar nosso país e isto vai acontecer de um jeito ou de outro".Lopez Obrador tem liderado uma onda de protestos exigindo a recontagem voto a voto da eleição presidencial. Resultados oficiais deram ao candidato do partido governista Felipe Calderón uma vantagem de 0.6%, ou cerca de 240 mil votos, sobre Lopez Obrador.O Tribunal Federal Eleitoral decidiu no fim de semana que iria recontar apenas 9% das 130 mil zonas eleitorais do país, onde haveria evidências de irregularidades.Nesta terça, centenas de militantes carregando faixas e bandeiras do Partido da Revolução Democrática (PRD) sinalizavam para os motoristas passarem gratuitamente pelos pedágios, mas a maioria deixou os postos no final da manhã.O porta-voz do PRD Gerardo Fernandez Norono disse que a ação faz parte da resistência civil em curso para forçar autoridades eleitorais a permitir a recontagem de todos os 41 milhões de votos dados.Na segunda, Lopez Obrador advertiu na manifestação na frente do Tribunal Eleitoral que haverá conseqüências caso não seja aceita uma recontagem. "O que vai acontecer se eles ratificarem essa imposição?" questionou ele a seus seguidores. "Revolução!" responderam com seus punhos para o ar.Os partidários de Lopez Obrador têm bloqueado o centro financeiro e cultural da cidade há uma semana, provocando prejuízos diários de US$ 23 milhões, segundo estimativas das autoridades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.