Partidários de Morales bloqueiam acesso à Santa Cruz de La Sierra

Grupos indígenas e camponeses fecharam nesta quarta-feira a principal ligação entre as cidades de Santa Cruz de La Sierra e Cochabamba, no sudeste da Bolívia. Os manifestantes lutam pela liderança do governo na tomada de decisões da Assembléia Constituinte. A principal reivindicação é que os políticos da região de Santa Cruz aceitem a posição do governo, que quer aprovar um procedimento que permita que a nova Constituição seja aprovada por maioria simples da Assembléia. Eles também pedem a votação de um projeto de reforma agrária pelo Senado Federal.Políticos da região de Santa Cruz criaram um movimento, chamado Aliança Nacional, que exige o cumprimento da lei de convocatória da Assembléia. A lei estabelece que "o texto constitucional" deve ser aprovado por dois terços dos sufrágios dos deputados constituintes. O presidente interino da Bolívia, Alvaro García Linera, esteve reunido por oito horas na noite de terça-feira com prefeitos de oito departamentos (Estados), numa tentativa de evitar o bloqueio, anunciado previamente. A escolha da cidade de Santa Cruz pelos manifestantes é estratégica. Com o bloqueio das rodovias, eles visam atingir a realização da Feira Internacional, com início previsto para domingo. A feira é o evento comercial mais importante da Bolívia.MineradoresEm um evento paralelo, mineradores fecharam a rodovia que liga a capital La Paz a Oruro, no oeste do país. O grupo, organizado pela Federação Nacional das Cooperativas Mineradores (Fencomin), pede mais benefícios para os trabalhadores do setor. O porta-voz presidencial Alex Contreras disse nesta quarta que o governo já havia aberto o diálogo com os mineradores do oeste.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.