Partidários de premiê deposta protestam na Tailândia

Os partidários do governo da Tailândia se dirigiram neste sábado ao oeste de Bangcoc para uma demonstração de força após a destituição da primeira-ministra, Yingluck Shinawatra, e uma renovada pressão de apoiadores da oposição para que um primeiro-ministro não eleito assuma o poder no país.

Agência Estado

10 Maio 2014 | 14h29

O encontro do movimento pró-governo ocorre um dia depois de manifestantes contrários ao governo, que têm feito campanha nos últimos seis meses para depor Yingluck do governo, ampliaram seus esforços por meio de um cerco aos canais de televisão e aos escritórios do governo. Os opositores pediram também que os parlamentares ajudem a empossar um primeiro-ministro não eleito até a próxima segunda-feira.

Jatuporn Prompan, líder do grupo pró-governo Red Shirts que organizou a demonstração, disse que "enquanto a democracia do país não estiver a salvo, nós permaneceremos aqui".

Ele alertou que se "houver um golpe de Estado, ou um primeiro-ministro não eleito for empossado, o Red Shirts intensificará a nossa luta imediatamente". O movimento pró-governo não disse que ação tomará, mas Jatuporn afirmou que será pacífica e que eles "não desejam ver pessoas mortas, ou feridas, ao longo do caminho".

Yingluck foi destituída do poder por uma decisão polêmica da Corte Constitucional, que encorajou os manifestantes antigoverno. Eles pediram na sexta-feira que o gabinete inteiro da primeira-ministra fosse deposto e a criação de um "conselho do povo" não eleito, que segundo eles, implementaria reformas ainda indefinidas para combater a corrupção e políticas capitalistas. Eles se opõem às eleições agendadas para julho, das quais o partido do governo atual provavelmente sairá vitorioso. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Tailândia Manifestação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.