Partido Comunista chinês luta contra a corrupção

A cúpula do Partido Comunista da China (PCCh), liderada pelo presidente do país, Hu Jintao, prometeu continuar a luta contra o "ainda muito grave fenômeno da corrupção".A reunião dos principais dirigentes comunistas para analisar o trabalho do comitê disciplinar em 2006, realizada nesta segunda-feira, destacou que o PCCh "seguirá trabalhando para conseguir limpeza e transparência".O trabalho anticorrupção lançado pelo Governo de Hu "deve ser integrado nas campanhas econômicas, políticas e culturais do país e no desenvolvimento do Partido", assinalou um comunicado publicado pela agência estatal "Xinhua".Este ano, a campanha anticorrupção se intensificou por causa do escândalo de malversação do maior fundo de previdência do país, no qual esteve implicado, entre muitos outros, o até então secretário-geral do PCCh em Xangai, Chen Liangyu.No mais recente escândalo, Du Shicheng, secretário-geral do PCCh em Qingdao (subsede dos Jogos Olímpicos de 2008), começou a ser investigado no fim de semana passado por suposto uso indevido de fundos públicos e "violação da disciplina do Partido".Também este ano foi destituído o tenente prefeito de Pequim, Liu Zhihua, acusado de malversar fundos destinados aos preparativos para os Jogos Olímpicos de 2008.Analistas estrangeiros assinalam que algumas destas campanhas foram lançadas pelo presidente Hu para tirar seus rivais da política, como no caso de Chen e de outros líderes de Xangai que não compartilham das mesmas idéias do atual Governo.Segundo estes analistas, o chamado "grupo de Xangai" apóia uma política centrada no crescimento econômico, na linha do anterior presidente da China,Jiang Zemin, enquanto Hu e o primeiro-ministro, Wen Jiabao, tentam criar um programa mais social, baseado em frear as desigualdades geradas pelo desenvolvimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.