Partido Conservador britânico aceita homossexuais

Os homossexuais britânicos poderão filiar-se ao Partido Conservador, após 30 anos de campanha nesse sentido, promovida pela ala modernizadora da agremiação. O grupo da Campanha Tory pela Igualdade Gay (T.O.R.C.H., ou ?tocha?, por sua sigla em inglês) obteve a aprovação do comitê partidário para reconhecer o direito de todos os homossexuais conservadores, de atuar ativamente dento do partido opositor. "No passado, os grupos gays simpatizantes do Partido Conservador (ou "Tory") tinham que atuar fora das estruturas políticas do partido, mas agora poderão agir dentro dele", disse um porta-voz tory. A entrada de filiados homossexuais no partido imprimirá ainda maior pressão para que sejam votadas novas medidas governamentais sobre os direitos dos gays na Grã-Bretanha. Iain Duncan Smith, o líder do partido, disse que a aprovação "é um sinal positivo para a tolerância sexual dentro do grupo opositor". Smith havia sido criticado, no passado, por negar-se a permitir que seu partido votasse a favor de uma lei permitindo aos casais gays britânicos que adotassem crianças. James Davenport, líder do grupo Torch, declarou que a decisão do comitê conservador "é uma excelente notícia para a comunidade gay do país e para todas a minorias britânicas".

Agencia Estado,

09 Dezembro 2002 | 14h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.