Partido da Hungria quer que país se retire da UE

O partido húngaro de extrema direita Jobbik defendeu hoje um referendo sobre a saída do país na União Europeia (UE). Durante discurso para membros da legenda, o presidente do partido, Gabor Vona, afirmou que a "Hungria tem que sair dessa união". O evento terminou com a queima de bandeiras da UE.

AE, Agência Estado

14 de janeiro de 2012 | 15h29

A União Europeia está ameaçando tomar medidas legais contra a Hungria por causa de uma série de novas leis - aprovadas pela maioria de dois terços do partido Fidesz, do primeiro-ministro Viktor Orban - que ameaça a independência do banco central húngaro, e a autoridade nacional judiciária e de proteção de dados.

Vona disse a um público de cerca de 3 mil partidários que o Jobbik não concorda com as leis aprovadas pelo Fidesz e que a posição da UE era equivalente a uma "declaração de guerra" contra a Hungria. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
HungriaUEreferendo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.