Partido de ex-premiê decide não boicotar eleições no Paquistão

Legenda de Nawaz Sharif desconfia de que a opositora Benazir Bhutto está disposta a apoiar o presidente

Efe,

10 de dezembro de 2007 | 11h33

O partido do ex-primeiro-ministro paquistanês Nawaz Sharif declarou nesta segunda-feira, 10, que participará das eleições de 8 de janeiro, diante da suspeita de que a líder opositora Benazir Bhutto pode apoiar o presidente, Pervez Musharraf.   "Decidimos concorrer nas eleições porque Benazir Bhutto não quer boicotá-las e não podemos deixar o campo livre a sua formação (o Partido Popular do Paquistão)", disse o porta-voz da Liga Muçulmana do Paquistão-Nawaz (PML-N) Ahsan Iqbal.   Segundo Iqbal, se o PML-N não concorresse às eleições, Musharraf poderia conseguir com o apoio de Bhutto uma maioria de dois terços no Parlamento. "Sim, suspeitamos que Bhutto está disposta a apoiar Musharraf", assegurou o porta-voz.   A decisão do PML-N chega depois de os 15 partidos da grande aliança que lidera, a APDM, se reunirem na cidade de Lahore e não chegarem a um consenso para boicotar as eleições. Sharif tinha defendido em princípio a não participação no pleito até que Musharraf restaurasse os magistrados do Tribunal Supremo destituídos após a declaração do estado de exceção.   Além disso, a candidatura de Sharif foi rejeitada pela Comissão Eleitoral, que alegou no mês passado que ele ainda possui uma condenação judicial. "Não recorremos contra a medida porque não reconhecemos os juízes que deveriam julgar o recurso. Eles são leais a Musharraf, não à Constituição do Paquistão", disse Iqbal.   O ex-chefe de governo foi condenado em 2000 à prisão perpétua por ter ordenado em outubro de 1999, quando era primeiro-ministro, o seqüestro do avião no qual viajava Musharraf, então chefe do Exército, que retornava de uma visita oficial ao Sri Lanka.   Apesar de Sharif não concorrer no pleito, outros membros de seu partido poderão se candidatar "sem nenhum problema", segundo Iqbal.   A decisão do partido de Sharif poderia prejudicar a legenda patrocinada por Musharraf, a Liga Muçulmana do Paquistão-Q, uma cisão do PML-N com a qual concorre pelo voto islamita moderado.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.