Partido de Maliki vence eleições no Iraque

Coalizão do primeiro-ministro derrota partidos religiosos em 9 das 14 províncias em disputa

Reuters, NYT, AP e AFP, Bagdá, O Estadao de S.Paulo

06 de fevereiro de 2009 | 00h00

Partidários do primeiro-ministro do Iraque, Nuri al-Maliki, obtiveram uma ampla vitória sobre seus rivais xiitas nas eleições legislativas provinciais iraquianas, tidas como cruciais para consolidar o processo democrático no país. Segundo resultados divulgados ontem, faltando apurar menos de 10% dos votos, a Coalizão Unificada Iraquiana, liderada pelo partido xiita Dawa, de Maliki venceu em 9 das 14 províncias onde houve votação.A principal vitória foi na capital, Bagdá, onde Maliki obteve 38% dos votos. O Bloco Sadr, partido do clérigo radical xiita Muqtada al-Sadr, ficou com 9%. Em Basra, a segunda maior cidade do Iraque, os aliados do premiê obtiveram 37% dos votos. O Conselho Supremo para a Revolução Islâmica no Iraque (CSRII), maior partido xiita iraquiano, ficou em segundo lugar, com 12% dos votos. O CSRII, cuja campanha teve como base imagens e slogans religiosos, não venceu em nenhuma província. O vácuo deixado pelos partidos religiosos parece ter sido ocupado pelos seculares e independentes, que foram muito bem votados em todo o país.As vitórias em Bagdá e Basra dão força ao governo para a eleição nacional, no fim do ano. Embora o partido de Maliki tenha origem xiita, ele não mencionou a religião na campanha, uma tática que parece ter conquistado os eleitores cansados de hostilidades sectárias. Um resultado surpreendente ocorreu na Província de Anbar, de maioria sunita e berço dos "grupos despertar", que em 2007 deixaram de apoiar a Al-Qaeda para aliar-se aos EUA. Saleh Mutlaq, um nacionalista secular, derrotou os radicais sunitas e o partido tribal apoiado pelos EUA. Os iraquianos votaram para eleger as assembleias de 14 das 18 províncias. Os mais de 14 mil candidatos disputaram 440 vagas nos conselhos locais. Os eleitos terão o direito de designar posteriormente os governadores das províncias.ATENTADOUm homem-bomba matou ontem 15 pessoas em um restaurante na cidade de Khanaqin, perto do Curdistão, no norte do Iraque. O ataque ocorreu poucas horas antes da divulgação do resultado oficial das eleições. Foi o incidente mais violento ocorrido no período eleitoral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.