Partido de Sarkozy tem 39,5% de votos em eleição legislativa

Socialistas recebem 24,7% dos votos; direita tem maioria absoluta no segundo turno

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 02h48

O partido União por um Movimento Popular (UMP), do presidente francês, o conservador Nicolas Sarkozy, recebeu no último domingo 39,54% dos votos no primeiro turno das eleições Legislativas, enquanto os socialistas obtiveram 24,73%, segundo os resultados definitivos divulgados nesta segunda-feira, 11, pelo Ministério do Interior. Esse resultado, obtido com uma abstenção recorde de 39,5% - que atingiu especialmente a esquerda -, dará ao bloco de Sarkozy uma maioria absoluta na Assembléia Nacional no segundo turno do próximo domingo, que pode chegar a ser arrasadora, segundo as projeções. O grupo dos candidatos da maioria presidencial recebeu 45,5% dos votos (em 2002 obteve 43,5%), enquanto a esquerda ficou com 39% (contra 40% em 2002). De acordo com a projeção em número de deputados, o UMP e seus aliados receberão entre 383 e 501 cadeiras de uma Assembléia formadas por 577, enquanto os socialistas e seus aliados (comunistas, ecologistas e radicais) terão de se conformar em ocupar entre 60 e 185. No primeiro turno de ontem já foram escolhidos 110 deputados, que obtiveram mais de 50% dos votos em suas circunscrições (sempre que representarem mais de 25% dos inscritos). Eleitos Entre os deputados já eleitos está apenas um da esquerda (o socialista Michel Lefait), e entre os da direita, o primeiro-ministro, François Fillon, e seis dos vários de seus ministros que também aspiravam uma cadeira. Os três que não conseguiram a eleição antecipada disputarão o segundo turno, e em princípio o único que pode ficar de fora da Assembléia - e, portanto, fora do governo, pela regra imposta por Fillon - é o ministro de Ecologia e Desenvolvimento Sustentável, Alain Juppé, que candidato pela circunscrição de Bordeaux, onde é prefeito. O Movimento Democrata (MoDem), do centrista François Bayrou, que ficou em terceiro nas Presidenciais realizadas há um mês e meio, foi um dos derrotados no domingo, já que recebeu apenas 7,61% dos votos. A ultradireitista Frente Nacional (FN) e o Partido Comunista (PCF) ficaram quase empatados em número de votos, com 4,29% (com uma vantagem de 300 cédulas para o primeiro), mas o resultado será muito diferente em número de cadeiras. Essa porcentagem representa uma séria derrota para o FN, que vem a confirmar sua queda nas Presidenciais. Além disso, apenas um de seus candidatos, Marine Le Pen - filha do líder da legenda, Jean-Marie Le Pen - disputará o segundo turno, sem possibilidades de obter a cadeira. O PCF perderá seu grupo parlamentar (necessita de um mínimo de 20 deputados), mas não sofreu o desastre que alguns tinham anunciado, e terá entre 6 e 17 cadeiras.

Mais conteúdo sobre:
Legislativo França direita Sarkozy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.