Partido do governo vence disputa em Londres, mas perde no interior

Conservadores reelegem Boris Johnson como prefeito da capital, mas vereadores trabalhistas tiveram aumento de votos em todo o país.

BBC Brasil, BBC

04 Maio 2012 | 21h24

O partido do premiê britânico David Cameron e seus parceiros de coalizão, os Liberais-Democratas, perderam sofreram importantes perdas nas eleições municipais do país, cujos resultados foram divulgados nesta sexta-feira.

Em Londres, após uma disputa acirrada com o candidato trabalhista Ken Livingstone no segundo turno, o conservador Boris Johnson foi reeleito como prefeito da cidade.

No entanto, o partido Trabalhista conseguiu vitórias expressivas na votação para vereadores na Inglaterra, na Escócia e no País de Gales. Após estas eleições, o partido tem a maioria nas assembléias de 75 municípios.

Na capital os trabalhistas também tiveram mais votos em Londres, apesar de não terem conseguido eleger seu candidato à prefeitura.

O revés conservador na Grã-Bretanha está sendo considerado por alguns analistas como uma evidência da insatisfação dos britânicos com a atuação do governo na crise que atinge o continente europeu.

Mesmo assim, Cameron afirmou nesta sexta-feira que seu governo não mudará a política econômica e que tomará "decisões difíceis" para lidar com o déficit da dívida pública e os problemas econômicos.

O número de eleitores que votaram nestas eleições, cerca de 32% segundo as projeções, foi o menor desde 2000.

Vitória crucial

Horas antes da divulgação dos resultados finais, o líder do partido Trabalhista, Ed Miliband, disse que o partido "está de volta com os eleitores ao nosso lado".

Em todo o país, o partido Trabalhista ganhou 823 acentos em assembléias legislativas. Os conservadores perderam 405 e os liberais-democratas, 336.

Segundo o analista político da BBC James Landale, a reeleição de Boris Johnson em Londres, ainda que por uma margem estreita de votos, foi crucial para os Conservadores, que apostavam em sua permanência no cargo.

"Durante semanas ministros me disseram em particular que mesmo que as eleições locais fossem ruins, eles podiam pelo menos contar com a reeleição de Boris na capital. Perguntados sobre o que aconteceria se ele não ganhasse, eles encolhiam os ombros e murmuravam preocupadamente sobre crises e pânico", afirmou.

Membros do partido temiam que a perda da prefeitura de Londres fizesse com que os novos ministros conservadores buscassem novas políticas e novas lideranças, mergulhando o partido em um "debate existencial", diz Landale. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.