EFE/Nic Bothma
EFE/Nic Bothma

Partido governista da África do Sul tem pior desempenho desde fim do apartheid

Congresso Nacional Africano liderava de forma absoluta desde que colocou um fim ao governo da minoria branca, mas perdeu apoio do eleitorado que sentiu que sua vida não melhorou

O Estado de S.Paulo

05 Agosto 2016 | 15h41

PRETÓRIA - O Congresso Nacional Africano (CNA), partido governista da África do Sul, estava a caminho de seu pior desempenho eleitoral desde o fim do apartheid nesta sexta-feira, 5, uma vez que os eleitores extravasaram nas eleições municipais seu descontentamento com o alto desemprego e a corrupção, abrindo espaço para uma mudança gigantesca na política e na sociedade.

O CNA reinava absoluto desde que pôs fim ao governo da minoria branca em 1994 com Nelson Mandela à sua frente, mas perdeu apoio, particularmente nas áreas urbanas, entre o eleitorado que sente que sua vida não melhorou e que acusa o presidente sul-africano, Jacob Zuma, de administrar mal a economia.

Com 95% das urnas apuradas, a legenda ainda estava à frente na contagem geral de votos das eleições municipais, mas perdeu para a Aliança Democrática, o principal partido de oposição, na região de Nelson Mandela Bay, que inclui a cidade de Porto Elizabeth, e estava atrás em Tshwane, que abriga a capital Pretória.

Desde o fim do apartheid, o CNA vinha se mostrando invencível nas urnas nessas localidades, assim como no polo econômico de Joanesburgo, onde mantinha uma vantagem apertada nesta sexta-feira.

Neste momento, nenhum partido parece a caminho de obter uma maioria nestes três centros urbanos, o que deve criar uma nova era de política de coalizão conforme a África do Sul se afasta do que, na prática, é um sistema de partido único no período pós-apartheid.

Esta mudança reformula o cenário político do país antes da eleição nacional de 2019 e pode encorajar adversários de Zuma dentro do CNA a desafiá-lo no partido. A Aliança Democrática manteve o comando da Cidade do Cabo, que governa desde 2006. / Reuters

Mais conteúdo sobre:
África do Sul Apartheid Eleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.