Partido governista do Japão perde maioria no Senado

Partid Democrático perdeu dez assentos; liberais conseguiram 51, seis a mais que os rivais

Agência Estado

12 de julho de 2010 | 02h40

O premiê Naoto Kan caminha em frente a cartazes de sua propaganda eleitoral. 

 

TÓQUIO - Os resultados finais da eleição deste domingo para a Câmara Alta japonesa mostraram que o partido governista, o Partido Democrático do Japão (PDJ), conquistou apenas 44 assentos, dez a menos do que tinha antes do pleito. O Partido Liberal Democrático (PLD), maior grupo oposicionista, ganhou 51 cadeiras, contra 38 antes da eleição.

 

O Seu Partido, que não tinha representação, ganhou 10 assentos. O Novo Partido do Povo, parceiro de coalizão do PDJ, não conseguiu nenhum assento, perdendo as três que ocupava antes do pleito. Estavam em disputa um total de 121 cadeiras, ou metade das 242 que compõem a Câmara Alta.

 

O primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, não deve fazer nenhuma mudança em seu gabinete pelo menos até setembro, quando o PDJ elegerá sua nova liderança. A informação foi dada pela agência de notícias Kyodo News, que citou Yoshito Sengoku, secretário do chefe de gabinete.

 

De acordo com Sengoku, a ministra da Justiça, Keiko Chiba, que na eleição também perdeu a vaga que ocupava na Câmara Alta do parlamento japonês, deverá permanecer no cargo até a possível reformulação do gabinete. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
JapãoeleiçãoSenadoKan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.