Partido governista não consegue maioria na Holanda

O partido de governo Apelo Cristão-Democrático (CDA) conseguiu a maior parte dos votos na eleição da Holanda, mas agora terá que enfrentar a difícil tarefa de formar um governo de coalizão. Com 97% dos votos apurados, o partido do primeiro-ministro Jan Peter Balkenende conseguiu 41 assentos na câmara baixa do Parlamento, composta por 150 membros. O Partido Trabalhista, de oposição, conseguiu 32 assentos. E o Partido pelos Animais se transformou no primeiro partido de defesa dos animais a conseguir assentos em um parlamento europeu. O Partido Socialista conseguiu os maiores ganhos, ficando em terceiro lugar com a conquista de 26 assentos. Os holandeses estavam divididos entre partidos com políticas mais duras a respeito de imigração e a favor de negócios e os partidos de esquerda com uma política menos severa. Os Liberais (VVD), atuais parceiros do CDA na coalizão governista, conseguiram 22 assentos. Isto significa que o CDA vai precisar incluir vários outros partidos para alcançar uma maioria atuante. Apesar de conseguir menos assentos no Parlamento do que tinham anteriormente, integrantes do CDA comemoraram o resultado. "Somos o maior partido novamente... o esforço de quatro anos de luta foi recompensado e isto me orgulha", afirmou Balkenende aos partidários. "É um resultado fantástico pois em março, nas eleições locais, conseguimos apenas 28 ou 29 assentos. Então, 41 (assentos) é um grande feito", disse o parlamentar do CDA à BBC Coskun Coruz. Novas tendências O correspondente da BBC em Haia Sam Wilson afirmou que as comemorações na sede do partido CDA contrastavam com a atmosfera no Partido Trabalhista, onde muitos ficaram insatisfeitos com o fato de o partido perder assentos para os Socialistas. "Esperávamos dobrar nossos assentos, mas isto é absolutamente fantástico. Estou orgulhosa com o fato de a Holanda querer se mover para a esquerda", disse Agnes Kant, parlamentar do Partido Socialista. O outro grande vencedor foi o partido contra a imigração, Partido pela Liberdade, liderado por Geert Wilders, que elegeu nove parlamentares. A União Cristã conseguiu seis assentos e o Partido Verde de Esquerda, sete. "É um caos. É extremamente difícil colocar um governo em prática com estes resultados", disse o ministro das Finanças Gerrit Zalm, que é do Partido Liberal. Imigração O governo da coalizão liderada pelos cristãos-democratas desmoronou em junho, depois da polêmica envolvendo o questionamento da cidadania holandesa de uma política nascida na Somália. O comparecimento às urnas foi pouco acima de 80%. Cerca de 12 milhões de pessoas tinham opção de votar na eleição desta quarta-feira. Os parlamentares são eleitos por um período de quatro anos, num sistema de representação proporcional. A imigração é uma questão crucial na política holandesa desde que o político independente Pim Fortuyn e o cineasta Theo van Gogh, dois ativistas que lutavam contra o extremismo muçulmano, foram assassinados. Apesar disso, no último debate de TV, na véspera das eleições, os líderes dos partidos se concentraram mais nas reformas do que na questão da imigração, segundo Geraldine Coughlan, correspondente da BBC em Haia. Durante a campanha, Balkenende ressaltou a recuperação econômica do país nos últimos anos como obra de seu governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.