Partido governista sul-africano pede renúncia de Mbeki

O partido governista da África do Sul pediu neste sábado a renúncia do presidente do país, Thabo Mbeki. Segundo o secretário-geral do Congresso Nacional Africano (CNA), Gwede Mantashe, o pedido foi aceito por Mbeki. Mantashe disse que o Comitê Executivo nacional do partido "decidiu pedir a saída do presidente da república antes que seu mandato chegue ao fim." Mbeki teria aceitado a decisão com serenidade. "Ele não se mostrou chocado. Ele recebeu a notícia e concordou em participar do processo e das formalidades", disse Mantashe, sem esclarecer se o presidente sul-africano participou da reunião do CNA.Mbeki perdeu uma disputa de poder com seu rival, o líder do CNA, Jacob Zuma, e tem sofrido pressão para deixar o cargo desde que um juiz local chegou à conclusão na semana passada de que o dirigente sul-africano foi fundamental para que Zuma fosse acusado de corrupção.Mantashe afirmou ainda que vários outros membros do governo, inclusive o vice-presidente Phumzile Mlambo-Ngcuka, deixarão seus cargos em solidariedade a Mbeki. A informação, no entanto, ainda não foi confirmada oficialmente. Mbeki, que sucedeu Nelson Mandela em 1999, deixaria a presidência apenas em 2009. Sua eventual saída, segundo observadores políticos, representaria um forte golpe a um homem que dedicou sua vida ao CNA e que é considerado um dos estadistas mais respeitados da África.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.