Partido governista vence no Kosovo

Premiê deve permanecer no poder; ONGs e oposição denunciam fraudes no pleito legislativo

Efe

13 de dezembro de 2010 | 20h43

Apuração foi atrasada por denúncias de fraudes.

 

PRISTINA - O Partido Democrático (KDP) venceu as eleições legislativas realizadas neste domingo no Kosovo, as primeiras desde a independência da Sérvia em 2008, segundo o resultado oficial da apuração publicado nesta segunda-feira, 13. O primeiro-ministro kosovar, Hashem Thaçi, pertence ao grupo vencedor

 

Com 99% das cédulas apuradas, o KDP conseguiu 33,5% dos votos nas eleições de domingo, muito à frente da Liga Democrática (LDK), que obteve 23,6%, informou a Comissão Eleitoral Central.

 

Em terceiro lugar ficou a nova formação nacionalista Autodeterminação, que concentra os votos de protesto e registrou 12,2%. A Aliança para o Futuro do Kosovo (AAK) - do ex-primeiro-ministro Ramush Haradinaj, detido em Haia (Holanda), acusado de crimes de guerra -, que conseguiu 10,8%. A Aliança por um Kosovo Novo (AKR), do bilionário do setor de construções Behgjet Pacolli, alcançou 7,1% dos votos.

 

Outro grupo que também consegue entrar no Parlamento é o Partido Liberal Independente (SLS), maior formação servo-kosovar, com 1,8% dos votos, conseguindo dez cadeiras reservadas à minoria servo-kosovar no Parlamento - composto por 120 deputados.

 

Os recursos dos partidos da oposição kosovar e as suspeitas de irregularidades que teriam beneficiado a legenda governista KDP atrasaram durante horas os resultados oficiais.

 

Thaçi proclamou no domingo o KDP como "claro vencedor" do pleito depois de uma pesquisa boca-de-urna tê-lo considerado a força política mais votada. No entanto, sua vitória foi denegrida pelas acusações de fraude das ONGs e de todos os partidos opositores, que dizem contar com provas de votos múltiplos e de pessoas já mortas.

 

"As manipulações e irregularidades danificaram o processo eleitoral", afirmou nesta segunda-feira Ismet Kryeziu, presidente do grupo Democracia em Ação, uma coalizão de ONGs kosovares.

 

A LDK, maior partido opositor do Kosovo, já rejeitou nesta segunda-feira os resultado oficiais das eleições, diante das acusações de fraude em dois municípios, o que teria beneficiado o KDP.

 

O secretário-geral do LDK, Ismet Beqiri, rejeitou os resultados pelas acusações de fraude em duas fortificações do KDP, onde se registrou uma participação superior a 90% e a vasta maioria dos 80 mil votos ali contabilizados beneficiou o partido de Thaçi. "Só na Coreia do Norte se pode encontrar um nível de participação de 94%", disse Beqiri em um debate televisivo.

Tudo o que sabemos sobre:
KosovoEuropaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.