Partido paraguaio quer menos urnas eletrônicas

O Partido Colorado, no governo, oficializou no Tribunal Eleitoral do Paraguai sua discordância quanto à utilização maciça de urnas eletrônicas nas eleições presidenciais de 27 de abril próximo. Com urnas eletrônicas emprestadas pelo Brasil, o Tribunal Eleitoral paraguaio programou o sufrágio de 53% dos eleitores. Os colorados alegaram dificuldades técnicas para a implementação do sistema, considerado por eles muito abrangente, e pediram para que o voto eletrônico seja permitido para apenas 10% dos inscritos. A oposição, por sua vez, alega que a reclamação deve-se ao fato de que o sistema não permitirá que o Partido Colorado "realize fraudes", e que, por este motivo, poderá perder o governo, que vem exercendo desde 1947.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.