Partido pede renúncia de governo do Curdistão iraquiano

Um partido da oposição na região semiautônoma do Curdistão iraquiano pediu ao governo regional, neste domingo, que renuncie, ao dizer que a onda de protestos e revoltas populares nos países árabes deveriam ser um alerta para seus governantes. O governo do Curdistão rechaçou o pedido. O partido reformista Gorram (mudança, em curdo), disse que os dois partidos governistas, que comandam a região semiautônoma no norte do Iraque, são corruptos e não representam o povo. Os protestos que abalaram a Tunísia, Egito e Iêmen poderão acontecer no norte curdo do Iraque se o governo fracassar em realizar as reformas econômicas e sociais, disse o porta-voz do Gorran, Mohammed Tawfiq Rahim.

Agência Estado

30 de janeiro de 2011 | 19h10

Os dois partidos que governam o Curdistão iraquiano - a União Patriótica do Curdistão e o Partido Democrático do Curdistão - responderam que o Gorram tenta aproveitar a situação em outros países para provocar a instabilidade na região curda do Iraque, relativamente próspera. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraquecurdos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.