Partido que defendeu apartheid na África quer união com Mandela

O partido que introduziu o apartheid na África do Sul anunciou planos para se fundir com o partido de Nelson Mandela, seu antigo rival que sempre combateu o regime de segregação racial do país. O Novo Partido Nacional anunciou que está fechando as portas em setembro do ano que vem e indicou a seus membros que eles devem entrar no Congresso Nacional Africano (CNA), do ex-presidente Mandela e do atual presidente, Thabo Mbeki.O Novo Partido Nacional é o descendente direto do antigo Partido Nacional, que governou a África do Sul entre 1948 e 1994. Mesmo com a mudança de nome, sua popularidade continuou caindo cada vez mais por causa de sua associação com o apartheid. Nas eleições de abril, por exemplo, o partido ficou com menos de 2% dos votos.O partido, obviamente, não conseguiu obter apoio da população negra e perdeu simpatizantes brancos, que fugiram para outras agremiações. O líder do Novo Partido Nacional, Marthinus van Schalkwyk, deve pedir filiação ao Congresso Nacional Africano nas próximas semanas, segundo seus assessores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.