AP/Arquivo
AP/Arquivo

Partido Socialista francês analisará caso Strauss-Kahn na terça-feira

Diretor do FMI é candidato do partido nas eleições presidenciais contra Sarkozy

Efe

16 de maio de 2011 | 12h02

PARIS - A líder do Partido Socialista (PS) francês, Martine Aubry, se reunirá na terça-feira, 17, com a direção da legenda para analisar as consequências da detenção do socialista e diretor-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, por suposta tentativa de estupro.

 

Veja também:

som Estadão ESPN: Diretor do FMI declara que não é culpado

especial Políticos e seus escândalos sexuais

 

A reunião se antecipará algumas horas para que Martine possa participar, anunciou nesta segunda-feira à imprensa o porta-voz do PS, Benoît Hamon.

 

Hamon afirmou que as informações das quais seu partido dispõe são "muito parciais, incompletas e contraditórias" e que acredita na inocência de Strauss-Kahn.

 

Ele lembrou que o diretor-geral do FMI ressaltou sua inocência e confirmou que as candidaturas devem ser apresentadas entre 28 de junho e 13 de julho para que o primeiro turno ocorra em 9 de outubro.

 

"O objetivo do PS continua sendo o mesmo: derrotar (o presidente da França) Nicolas Sarkozy", assegurou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.