Partido Socialista francês comemora decisão de juiz

Integrantes do Partido Socialista (PS) francês comemoraram ontem a determinação da Justiça nova-iorquina, que autorizou o diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, a ficar em prisão domiciliar. O réu, líder histórico do PS, até duas semanas atrás era o nome mais forte para disputar as eleições presidenciais de 2012.

AFP, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2011 | 00h00

"Estou feliz e aliviado. Para os amigos, era doloroso imaginá-lo em uma prisão como Rikers Island", disse o deputado socialista Pierre Moscovici. O parlamentar francês reconheceu que Strauss-Kahn foi condenado por crimes "graves". "Agora, esperamos a verdade", completou.

A prisão do chefe do FMI iniciou uma acirrada disputa interna no PS para definir quem será o nome do partido para a eleição de 2012. Segundo pesquisa divulgada ontem, François Hollande lidera a disputa com 38% das intenções de voto dos membros da legenda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.