Partido ultra-ortodoxo rejeita integrar governo de Israel

O partido ultra-ortodoxo Shas afirmou hoje que não participará de um novo governo em Israel formado pela primeira-ministra designada Tzipi Livni. Com isso, crescem as chances de que o país tenha antecipadas as eleições gerais. O porta-voz do partido, Roi Lahmanovitch, afirmou em comunicado que Tzipi não conseguiu atender às demandas do partido por mais dinheiro para os israelenses pobres. Além disso, a sigla queria um compromisso de que partes de Jerusalém não seriam cedidas aos palestinos.O texto divulgado hoje sustenta que o Shas "não poderá se unir ao governo sob essas condições". Se a situação se mantiver, a ex-ministra de Relações Exteriores terá duas opções: ou forma uma coalizão de maioria mínima, com pequenos partidos ultra-ortodoxos e pacifistas, ou convoca novas eleições para 2009. Ontem, Tzipi afirmou que, se não conseguir formar uma coalizão até domingo, convocará eleições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.