Partidos alemães propõem referendos nacionais para decisões sobre UE

Proposta ainda será votada; partido da chanceler Angela Merkel é contra

O Estado de S. Paulo,

12 de novembro de 2013 | 12h55

BERLIM - Negociadores que discutem a formação de um governo de coalizão na Alemanha propuseram a realização de referendos sobre as principais decisões políticas europeias que envolvam a transferência de poderes para Bruxelas ou o comprometimento de dinheiro alemão junto à União Europeia. "A população deveria ser perguntada diretamente sobre decisões de políticas europeias de importância especial", diz um documento obtido pela Reuters.

"Isso se aplicaria particularmente quando novos Estados membros são adicionados, quando poderes importantes são transferidos para Bruxelas ou quando as finanças da Alemanha são comprometidas a nível da União Europeia. Para tais decisões, queremos pavimentar o caminho para referendos nacionais."

O documento foi composto por um grupo de trabalho sobre política interna liderado pelo ministro do Interior, Hans-Peter Dietrich, do partido bávaro União Social Cristã (CSU), e Thomas Oppermann, membro da Partido Social-Democrata (SPD).

A União Democrata-Cristã (CDU, na sigla em alemão), partido da chanceler alemã, Angela Merkel, é contra a realização dos referendos, disse um parlamentar nesta terça-feira, 12. O vice-líder parlamentar da CDU, Guenter Krings afirmou, em declaração publicada na página de Internet da revista Spiegel, que "a posição da CDU é clara: nos opomos a rebaixar as deliberações parlamentares."

O documento ainda precisa ser aprovado em uma reunião mais ampla para negociar a coalizão liderada por Merkel, o que significa que pode nunca vir a ser implementado./ REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.