Partidos islâmicos apontam fraude em eleição da Argélia

Uma aliança de partidos islâmicos que esperava ter um forte resultado nas eleições parlamentares da Argélia acusou o pleito de ter sido fraudado nesta sexta-feira depois de os números mais recentes da apuração indicarem que o grupo ficou em terceiro lugar.

AE, Agência Estado

11 Maio 2012 | 12h04

Os argelinos desta nação rica em petróleo votaram ontem para renovar o Parlamento, numa eleição que as autoridades descreveram como uma resposta aos movimentos pró-democracia que dominaram a região árabe.

Números preliminares de ontem à noite indicavam que a "Aliança Verde", formada por três partidos islâmicos, ficaria logo atrás do ex-partido governista, a Frente de Libertação Nacional (FLN), no Parlamento de 462 assentos.

Dados de hoje, no entanto, apontavam que os islâmicos ficariam num distante terceiro lugar, atrás do FLN e seu partido irmão, o União Nacional Democrática. Estes últimos números ainda não foram confirmados.

Abderrazzak Mukri, coordenador de campanha da aliança, diz que os resultados do Ministério de Interior diferem muito dos que foram coletados pelos observadores do grupo. Para Mukri, "há um processo centralizado de fraude para alterar os resultados, o que põe o país em perigo". Culpando o presidente Abdelaziz Bouteflika pela suposta fraude, Mukri disse: "Não somos responsáveis pelo que pode vir a acontecer."

A Argélia enfrentou duas décadas de insurgência depois de o exército ter cancelado eleições que um partido islâmico estava prestes a ganhar. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Argélia eleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.