Partidos pró-Kremlin ganham eleição regional, diz pesquisa

Os russos votaram neste domingo em eleições regionais consideradas uma prévia da eleição parlamentar de dezembro e as pesquisas sugerem que dois grandes partidos pró-Kremlin ganharão com ampla maioria. Oponentes do presidente Vladimir Putin, ignorados pela mídia controlada pelo Estado e atrás nas pesquisas, ficaram restritos a protestos isolados depois que foram impedidos de concorrer em quatro regiões devido a alegações de irregularidades. Cerca de 31 milhões de eleitores, pouco abaixo do eleitorado total, estavam aptos a votar em 14 regiões. Os últimos postos eleitorais foram fechados às 15h (horário de Brasília), na região de Samara, no Rio Volga. De acordo com as pesquisas divulgadas pela empresa VTsIOM em 10 regiões, os dois grandes partidos pró-Kremlin - o Rússia Unida e o Rússia Justa - deverão ganhar juntos entre 55% e 71% dos votos, dependendo da região. A projeção para o Partido Comunista é de entre 11% e 25%, e o ultranacionalista Partido Liberal Democrático teria entre 10% e 14%. A VTsIOM não divulgou as médias nacionais de cada partido. Os resultados oficiais devem começar a sair ainda neste domingo. A alta popularidade de Putin, o duro controle do Kremlin sobre a mídia e o forte crescimento econômico da Rússia deixam poucas chances para a oposição. A pesquisa de boca-de-urna da VTsIOM sugere que a União das Forças de Direita, liberal, pode não alcançar o índice mínimo de 7% para ganhar assentos nas legislaturas locais de três regiões. Na segunda maior cidade da Rússia, São Petersburgo, o pequeno partido de oposição Yabloko pediu para os simpatizantes anularem os votos em protesto contra a exclusão da eleição, depois de alegações de falsificação de assinaturas no registro. "Não vamos reconhecer esta eleição, que acreditamos não ser legítima", disse à Reuters Maxim Reznik, líder do Yabloko em São Petersburgo. Analistas políticos consideram a eleição um teste para o partido do poder, o Rússia Unida, frente ao rival pró-governo, Rússia Justa, criado no ano passado. O Rússia Unida ganhou na maioria das regiões, mas o Rússia Justa teve mais de 20% dos votos em pelo menos três áreas. Nas últimas eleições regionais, o Rússia Unida teve quase metade dos votos. A eleição de domingo foi calma em geral. Mas a polícia prendeu manifestantes que jogaram uma granada de fumaça contra um posto eleitoral no subúrbio Odintsovo, em Moscou. A polícia também deteve três fotógrafos, incluindo um cinegrafista da Reuters, que registraram as prisões. Eles foram liberados sem acusação depois de seis horas na delegacia. Um dos votos de domingo veio do espaço. O cosmonauta Mikhail Tyurin, que está em órbita na Estação Espacial Internacional, votou repassando sua escolha para um colega no controle da missão. Autoridades eleitorais depositaram a cédula, disse a agência de notícias Interfax.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.