Passa de 5.000 o número de casos de Sars na China

O número dos casos da Síndrome Respiratória Aguda Severa (Sars) passou dos 5 mil hoje na China, que registrou 15 mortes, enquanto em Taiwan houve mais oito mortes e 23 novos infectados. Com isso, chega a pelo menos 559 a cifra de mortos pela doença no mundo e a 7,4 mil, a de infectados. A China continua a ser o país em pior situação, com 252 mortes.As estatísticas preocupam, e funcionários da Organização Mundial da Saúde (OMS) visitam a zona rural da China, onde moram 800 milhões de pessoas, uma região pobre e sem condições sanitárias, área fértil para uma epidemia devastadora no futuro."A situação é séria e o trabalho, tremendo", disse o presidente chinês, Hu Jintao, em entrevista à televisão. "Devemos estar preparados para o pior."ÁfricaA Nigéria passou a examinar as pessoas que entram no país em busca de indícios da pneumonia, depois que um homem de negócios de Taiwan morreu, em território nigeriano, sob suspeita da pneumonia. As autoridades sanitárias acreditam que o homem - morto em 28 de fevereiro de causa ainda não confirmada - teve contato com cerca de 30 nigerianos em Kano e Lagos, a maior cidade nigeriana. Todos foram postos sob cuidados médicos e seis desenvolveram sintomas mas logo se recuperaram, disse o ministro da Saúde, Alphonsus Nwosu.Com mais de 126 milhões de habitantes, a Nigéria é o país africano mais populoso. Especialistas temem que a África, o continente mais pobre do planeta - com assistência médica precária e milhões de pessoas debilitadas pela aids -, não seja capaz de enfrentar uma epidemia de Sars, o que traria conseqüências devastadoras se a doença se espalhasse por lá.Veja o índice de notícias sobre a pneumonia atípica

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.