Mark Makela/Reuters
Mark Makela/Reuters

Passadas as tumultuadas eleições, correios dos EUA agora focam nas cartas para o Papai Noel

Na 'Operação Papai Noel', cartas ao 'bom velhinho' serão digitalizadas e postadas online para que os elfos - ou qualquer um que deseje espalhar a alegria do Natal - adotem e atendam às listas de presentes

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2020 | 08h00

NOVA YORK - Os correios têm sido a principal porta de entrada nos EUA para a magia do Papai Noel, com crianças enviando centenas de milhares de listas de desejos de Natal escritos à mão para um endereço fantasioso no Pólo Norte.

Agora, depois de entregar milhões de votos nas eleições de novembro, o Serviço Postal dos EUA está voltando sua atenção para outro grande empreendimento: a Operação Papai Noel. Essas cartas para o "bom velhinho" serão digitalizadas e postadas online para que os “elfos” - ou qualquer um que deseje espalhar a alegria do Natal - adotem e atendam às listas de presentes.

Segundo o serviço postal, as crianças têm enviado cartas ao Papai Noel há 108 anos, e funcionários de agências e organizações sem fins lucrativos têm ajudado a escrever as respostas por muitos anos.

Em 2017, o serviço de correio lançou uma campanha de doação de presentes em Nova York para permitir que voluntários contribuíssem na véspera de Natal. O programa online foi expandido para 7 cidades em 2018 e 17 cidades em 2019. Este ano, pela primeira vez, aqueles que gostam de presentear poderão fazer isso de qualquer lugar do país.

O serviço postal normalmente realiza eventos presenciais para permitir que voluntários leiam as cartas para o Papai Noel, mas a agência cancelou esses eventos este ano por causa da pandemia do coronavírus.

A maioria das cartas é de crianças pedindo brinquedos, eletrônicos e livros, de acordo com um porta-voz do correio. Mas muitos pedem apenas o necessário: um casaco de inverno, um colchão, material escolar. Os pais que lutam para sobreviver também escrevem com frequência, esperando uma ajuda para conseguir dar presentes para seus filhos.

O Serviço Postal elimina todas as informações de identificação pessoal antes de enviar as cartas para o site da Operação Papai Noel, onde as pesquisas poderão ser feitas por Estado a partir de 4 de dezembro. “Elfos” ou pessoas interessadas em adotar uma carta podem se registrar online com o Serviço Postal, e então enviar os presentes.

No ano passado, mais de 11 mil pacotes foram enviados em resposta a cartas ao Papai Noel.

“Cartas para o Papai Noel tendem a ser do tipo 'mensagem em uma garrafa'”, disse a cineasta Dana Nachman, cujo documentário Querido Papai Noel, sobre as cartas, estreia no dia 4 de dezembro. “As pessoas lançam em suas cartas às vezes mensagens engraçadas, fofas e comoventes. Às vezes, elas ficam tristes e mostram a pobreza na América. Mas estão todas escritas de uma forma tão séria e real que não consigo pensar em nenhuma outra oportunidade de entrar na mente das pessoas de uma forma tão autêntica.”

O serviço postal diz que as cartas para o Papai Noel devem ser enviadas para um endereço no Pólo Norte, que diz ser o da oficina do Papai Noel e não de sua residência. As crianças podem enviar cartas o ano todo, mas os correios só as aceitam para o Papai Noel até 15 de dezembro./ W. POST

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.