Passageira bêbada é presa após tentar abrir porta de emergência em voo para Boston

Polícia prendeu a mulher no aeroporto de Boston e possibilidade de conexão com terrorismo foi descartada; em um outro episódio, mais cedo, quatro passageiros foram retirados de um voo depois de 'atividades suspeitas'

O Estado de S. Paulo

17 de novembro de 2015 | 17h04

(Atualizada às 17h38) BOSTON - A Polícia do Estado de Massachusetts informou que uma passageira bêbada tentou abrir a porta da saída de emergência e não a da cabine do piloto, como foi informado anteriormente. Segundo a polícia, ela tinha sinais de embriaguez e, aparentemente, o episódio não tem conexão com terrorismo.  

Mais cedo, havia suspeita de que a mulher tivesse tentado entrar na cabine do piloto e a companhia, a British Airways, solicitou que a polícia aguardasse a chegada da aeronave no Aeroporto de Logan, em Boston. O incidente levantou temores de que houvesse alguma conexão com terrorismo, possibilidade que foi descartada pela polícia. 

A polícia identificou o número do voo como 213, da British Airways, que deixou o aeroporto de Heathrow, em Londres, às 6h57 (horário local). Tropas aguardaram a chegada no avião posicionadas no pátio e levaram a suspeita, de cerca de 30 anos, sob custódia. Em um comunicado, a British Airway chamou a mulher de passageira "rebelde". 

Ainda hoje, mais cedo, quatro passageiros foram retirados de voo da companhia Spirit Airlines no aeroporto de Baltimore, depois de "atividades suspeitas" a bordo do avião, informou a companhia.

O incidente ocorreu depois que uma passageira aparentemente muçulmana assistiu a bordo a um vídeo que outro passageiro pensou se tratar de uma gravação do Estado Islâmico, de acordo com uma fonte do governo.

Verificações iniciais dos três homens e uma mulher retirados do voo e de suas bagagens não encontraram nada suspeito, disse a fonte, que falou sob condição de anonimato.

O voo 969 da Spirit Airlines, que partiria do aeroporto internacional de Baltimore-Washington para o aeroporto internacional de O'Hare, em Chicago, foi suspenso antes da decolagem, informou a Spirit em comunicado. 

"Enquanto o avião estava taxeando na pista, um passageiro alertou um comissário de bordo que uma passageira se envolveu em atividade suspeita a bordo", disse a empresa. 

O funcionário da companhia aérea notificou o comandante, e o avião retornou ao portão de embarque. A polícia retirou as quatro pessoas do avião. O voo acabou decolando com mais de 3 horas de atraso. / REUTERS 

Tudo o que sabemos sobre:
Terror na FrançaEUABostonLondres

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.