Passageiro anti-Bush é proibido de embarcar na Austrália

A companhia aérea australiana Qantas proibiu pela segunda vez o passageiro Allen Jasson de embarcar em um de seus vôos por usar uma camisa ilustrada com a imagem do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, e com a frase "terrorista número um".Segundo publica nesta segunda-feira a agência de notícias australiana APP, Jasson, um engenheiro de informática de 55 anos, estuda com seus advogados a possibilidade de processar a companhia aérea por impedir o exercício da liberdade de expressão.O passageiro teve de permanecer em terra na sexta-feira passada quando os funcionários da Qantas no aeroporto de Melbourne o impediram de embarcar com destino a Londres por estar vestido com a polêmica camisa.Jasson, que mora no Reino Unido, já tinha passado pela mesma experiência em dezembro, mas na ocasião aceitou trocar de camisa e pôde seguir viagem, informa o jornal The Sydney Morning Herald. A companhia aérea disse em comunicado que"os comentários que possam ofender outros clientes ou ameaçar a segurança nos aviões do grupo Qantas não serão tolerados, sejam verbais ou por escrito".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.