Passageiro com explosivo tinha comportamento estranho

Na partida do vôo 63 da American Airlines, em Paris, o passageiro que as autoridades francesas identificaram como Tariq Raja, do Sri Lanka, chamou a atenção de muita gente pelo "comportamento estranho". Os recentes atentados nos Estados Unidos também parecem ter aguçado a atenção das pessoas, atentas a possíveis terroristas."Ele tinha um olhar vazio", recorda o comerciante francês Nicholas Green, de 27 anos. "Quem o tinha visto, depois lembrava-se dele". A norte-americana Monique Danison, de 20 anos, também notou Raja. "Ele parecia que estava sob o efeito de alguma droga. Lembro de ter pensado: ´Se ele é um terrorista, é um retardado mental´, porque se levantou quando eu olhei para ele."Duas ou três horas depois, surgiu cheiro de algo queimando. Uma aeromoça cujo nome não foi divulgado foi checar, viu algo que parecia um fio saindo do sapato de Raja e ele "tentando acender um fósforo". Ela saltou sobre Raja e logo gritou; "Ele me mordeu."Quatro homens tentaram dominá-lo, mas ele resistiu muito. "Ele era incrivelmente forte, quase ´possuído´. E era bem alto. Lutou contra pelo menos três ou quatro de nós", disse à TV ABC o passageiro Kwame James, um jogador de basquete de 2,03 metros. Ele descreveu o inglês do homem como "perfeito".Vários passageiros tiraram os cintos e o amarraram enquanto dois médicos franceses lhe aplicaram um sedativo, usando o kit do avião. "Parecia que todo mundo tinha combinado antes o que fazer", disse o francês Thierru Dugeon. A maioria pensava que o homem estava bêbado ou drogado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.