Passageiros de avião que caiu nos Andes eram turistas

Autoridades da província de Mendoza, no extremo oeste do país, anunciaram no início da noite desta terça-feira a queda de um avião Cessna 172, com matrícula brasileira número PT-OJN, que transportava, além do piloto, três passageiros. A Força Aérea, em base aos relatórios da Policia de Mendoza, anunciou que o acidente causou a morte dos quatro ocupantes do aparelho. Ontem à noite, a Polícia provincial autorizou a remoção dos corpos. Os mortos são, o piloto Dilson Kruger e os passageiros Marcos Túlio Silva, Sandra Ferrari e Lucilei Vieira de Mattos.O aparelho, segundo porta-vozes da Polícia, caiu nas montanhas próximas à Mendoza, capital da província homônima. O acidente ocorreu em uma área de difícil acesso, conhecida como "Papagayos", dentro de uma região denominada de Fazenda San Isidro, a 25 quilômetros de Mendoza.Segundo o comodoro Guillermo Lozada, porta-voz da Força Aérea, os restos do aparelho foram visualizados às 16:50. Lozada descreveu a nave como "muito deteriorada". O comodoro informou que o aeroporto de Mendoza perdeu contato com o aparelho quando este estava a 24 quilômetros da capital provincial. Imediatamente, foi dado o alarme e começou a ser procurado pela Força Aérea e a Polícia.O comodoro afirmou que os ocupantes, de origem brasileira, haviam partido de Belo Horizonte (MG), e haviam feito escalas em Foz de Iguaçu (PR) e nas províncias argentinas de Córdoba e Mendoza. O aparelho viajava rumo à Santiago do Chile. Os brasileiros eram turistas, que haviam desembarcado em Mendoza na véspera do Réveillon.A identidade das vítimas, segundo Lozada, só seria divulgada depois que seus parentes fossem informados pelas autoridades. O comodoro explicou que o avião partiu do aeroporto de Mendoza, "El Plumerillo", e tinha como destino o aeroporto de Santiago do Chile, "Comodoro Arturo Merino Benítez".Policiais, bombeiros e integrantes do serviço de emergências médicas, acompanhadas por um helicóptero, chegaram no início da noite à área do acidente para encontrar eventuais sobreviventes. A área do acidente é definida como a "Pré-Cordilheira", uma área montanhosa prévia à Cordilheira dos Andes.A Cordilheira dos Andes foi, ao longo do último século, o cenário de diversos acidentes aéreos. O mais famoso ocorreu em 1970, quando um avião da Força Aérea Uruguaia, que realizava o trajeto Montevidéu-Santiago do Chile, transportando a seleção uruguaia de rugby, espatifou-se contra a Cordilheira. Durante semanas, no meio da neve, com fome e correndo o risco de congelamento, os sobreviventes estiveram sem contato com o resto do mundo, até que finalmente conseguiram descer a montanha e pedir socorro. A tragédia proporcionou material para vários filmes de Hollywood, que destacavam o fato que os sobreviventes tiveram que alimentar-se dos restos de seus colegas falecidos.Há poucos anos, uma expedição do Exército argentino descobriu os restos de um avião britânico que havia desaparecido em 1945 ao atravessar a Cordilheira em direção ao Chile. Toda a tripulação do aparelho havia falecido no acidente.Turismo - Mendoza é famosa por ter as maiores e melhores adegas da Argentina. Além das vinícolas, milhares de turistas são atraídos para Mendoza para fazer alpinismo e trekking. Ao longo dos últimos cinco anos, a província passou a ter um crescente fluxo de turistas brasileiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.