Passageiros dos EUA começam a voltar ao Brasil

Voo cancelado no domingo por causa da neve chega a Guarulhos; brasileiros lembram dificuldade para chegar ao aeroporto de Nova York e as horas de espera

Ana Bizzotto, O Estado de S.Paulo

29 de dezembro de 2010 | 00h00

Passageiros que tiveram o voo de domingo cancelado em Nova York por causa da nevasca que atingiu a Costa Leste dos Estados Unidos chegaram ontem ao Brasil, felizes por ter conseguido vaga nos voos de anteontem. Após as dificuldades para achar transporte até o aeroporto e horas perdidas entre hotéis e saguões lotados, a sensação de quem desembarcava era de alívio e cansaço.

No Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, a médica Ana Paula Carvalho, de 43 anos, apressava-se para não perder a conexão para Curitiba. Ela e a família estavam no voo 951, da American Airlines, que decolou de Nova York com três horas e meia de atraso e desembarcou às 13h20 em Guarulhos. "Nosso voo sairia no domingo. Entramos no site e não falava que estava cancelado. Dormimos no aeroporto, no chão do corredor. Não tinha maca para todo mundo. Até conseguimos hotel, mas não tinha quem nos levasse. Estávamos ilhados e do lado de fora a neve batia no joelho", conta a médica.

Para chegar ao aeroporto, eles conseguiram uma van que andava a 15km/h e tinha de desviar das filas de carros parados ou batidos na estrada por causa da neve. "O motorista não enxergava nada, o para-brisa estava cheio de neve."

A enfermeira Eliana Lieders, de 49 anos, teve mais sorte. No domingo, antes de ir para o aeroporto, ela recebeu mensagem no celular e no e-mail avisando sobre o cancelamento. "Mas tive de ficar quatro horas no telefone para conseguir remarcar o voo para segunda-feira."

A estudante americana Katherine Simon, de 22 anos, também deveria ter vindo no domingo. "A cidade está uma bagunça. O trem para o aeroporto não funcionava, havia poucos táxis e os serviços de car service não tinham vaga, pois a maioria dos motoristas decidiu trabalhar por conta para ganhar mais. Meu pai foi para a rua procurar um desses e conseguiu", conta Khaterine, que passará férias no Brasil pela primeira vez.

"As filas no aeroporto estavam intermináveis e não dava para saber qual era a fila certa, A única coisa boa é que acabaram me colocando na classe executiva. Mas serviram comida chinesa comprada no aeroporto, pois os funcionários das empresas que abastecem o avião não conseguiram ir trabalhar."

Nem todo mundo que chegava dos voos americanos passou pelo caos provocado pelas tempestades de neve. O ator americano Matthew McConaughey desembarcou em Guarulhos com os filhos e a brasileira Camila Alves, com quem é casado, e a família americana. "Estamos chegando do Texas e lá está tudo bem."

Voos. A American Airlines informou que suas atividades já foram retomadas e "estão se regularizando". Segundo a assessoria de imprensa, houve 171 cancelamentos até anteontem, incluindo 4 da rota Brasil-EUA. Por causa do número limitado de aeronaves, a empresa não fará voos extras.

Em nota, a TAM informou que quatro voos foram cancelados anteontem e um ontem, que decolaria do Rio para Nova York. A companhia programou três voos extras, dois ontem e um na manhã de hoje, para transportar passageiros que ainda não chegaram a Nova York ou não voltaram ao Brasil por causa das nevascas. Segundo a empresa, os demais voos para a cidade americana estão confirmados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.