Passageiros estavam no cockpit de avião que matou presidente da Polônia, diz Rússia

Segundo investigação, três pessoas que não faziam parte de tripulação estavam em cabine de piloto antes de acidente.

BBC Brasil, BBC

19 de maio de 2010 | 08h03

Pelo menos três passageiros se encontravam no cockpit do avião que caiu na Rússia, matando o presidente polonês Lech Kaczynski e outras 95 pessoas, segundo informações de uma comissão que investiga as circunstâncias do acidente.

Uma destas pessoas teria sido identificada, mas a comissão, criada pelo governo russo, não quis fornecer mais detalhes.

De acordo com o correspondente da BBC em Moscou, Rupert Wingfield Hayes, a comissão ainda não sabe o que provocou a queda do avião na cidade de Smolensk em abril, mas descartou as hipóteses de falha mecânica no avião, explosão, ataque terrorista e de problemas no equipamento do aeroporto.

Investigações preliminares tinham concluído que os pilotos do avião deveriam ter evitado de tentar pousar em Smolensk por causa do mau tempo e da más condições de visibilidade.

Uma autoridade do controle de tráfego aéreo "alertou duas vezes que a visibilidade era de 400 metros e que não havia condições para pousar", afirmou Alexei Morozov, chefe da comissão de investigação, segundo a agência de notícias Itar-Tass.

O avião presidencial Tupolev-154 caiu no oeste da Rússia no dia 10 de abril, quando uma comitiva presidencial voava para uma cerimônia em homenagem a poloneses mortos pela polícia secreta do ditador soviético Josef Stalin em Katyn, durante a 2ª Guerra Mundial.

Além do presidente e sua esposa, os chefes dos três braços das Forças Armadas e diversos líderes políticos da Polônia morreram no acidente.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.