Joe Raedle/Getty Images/AFP
Joe Raedle/Getty Images/AFP

Passageiros tentaram se proteger entre aviões durante tiros

Além dos disparos, alarme falso causou pânico no Aeroporto Fort Lauderdale-Hollywood; desesperadas, as pessoas buscavam qualquer coisa para se proteger

O Estado de S.Paulo

06 de janeiro de 2017 | 20h58

FORT LAUDERDALE, EUA - O Aeroporto Internacional Fort Lauderdale-Hollywood registrou nesta sexta-feira, 6, dois momentos de terror. O primeiro quando um militar abriu fogo perto das esteiras de bagagens do Terminal 2 e, mais de uma hora depois, quando um alarme falso sobre um novo ataque a tiros circulou pelo Terminal 1.

O movimentado aeroporto ficou fechado por horas e todos os voos foram suspensos ou desviados. Imagens gravadas no Terminal 1 mostravam um cenário de caos na área de recolhimento de bagagens. As pessoas fugiam, se escondendo atrás de bancos, automóveis ou qualquer coisa com a qual pudessem se proteger. Passageiros chegaram a invadir as pistas, em pânico, na tentativa de escapar dos tiros por entre os aviões.

Cerca de 90 minutos depois do ataque a tiros, o pânico tomou conta do Terminal 1. Passageiros de outras partes do aeroporto disseram que mais disparos haviam sido feitos e agentes com armas automáticas podiam ser vistos se dirigindo a um grande grupo de viajantes.

O segundo incidente começou quando agentes correram para a área de estacionamento. Um segurança gritou “deitado” para uma pessoa, enquanto outro alertou à multidão que se aglomerava no setor de embarque que se afastasse. Imagens de TV mostraram centenas de pessoas à beira da estrada a leste do aeroporto caminhando com as mãos sobre as cabeças para mostrar que não portavam armas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.