Passageiros usaram celulares para alertar famílias

Vários passageiros dos aviões seqüestrados advertiram seus familiares, por meio de celulares, que talvez nunca mais pudessem vê-los. E, logo depois as comunicações se interromperam.Entre soluços, a comissária de bordo CeeCee Lyles telefonou para o marido dela, em Fort Myers, no Estado norte-americano da Flórida, informou hoje a tia dela, Mareya Schneider. "Ela telefonou e disse a ele o quanto ela o amava, a ele e aos filhos. Depois de ouvir alguns gritos, CeeCee disse: Fomos seqüestrados". Em seguida, segundo Schneider, não se ouviu mais nada. O avião em que CeeCee viajava caiu ao sul de Pittsburgo.Momentos antes do choque do avião em que voava para São Francisco, o comerciante Thomas Burnett telefonou para a mulher e lhe disse que o vôo estava a ponto de cair, mas que ele outros dois passageiros estavam a ponto de fazer alguma coisa para impedir, disse o padre da família ao jornal San Francisco Chronicle.Na chamada, Burnett, de 38 anos e três filhos, disse à mulher que um passageiro já havia sido assassinado a facadas. As autoridades não disseram se a tentativa dos passageiros de frustrar o seqüestro pode ter sido a causa de que o aparelho ter caído em terra na Pensilvânia ao invés de alcançar algum alvo em outro lugar.Outro passageiro do avião da United Airlines, Mark Bingham, telefonou para a mãe dele, Alice Hogan, para dizer-lhe: "Estou falando do avião. Fomos seqüestrados. Há três homens que dizem ter uma bomba".Outros passageiros telefonaram dos aviões que se chocaram contra o Pentágono e o World Trade Center. Barbara Olson, comentarista de televisão e mulher do funcionário federal Theodore Olson, telefonou ao marido duas vezes do avião que caiu sobre o Pentágono para dizer-lhe que os seqüestradores utilizavam armas parecidas com facas, disseram autoridades, sem entrar em detalhes.Uma mãe de Connecticut recebeu uma chamada de seu filho Peter Hanson, que viajava com a mulher e sua filha de dois anos em um dos aviões que se chocaram contra o WTC. "Tudo o posso dizer é que eles morreram juntos", disse a mãe, Eunice Hanson. "Morreram juntos. Este é meu único consolo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.