Passagem do tufão Wipha deixa ao menos 17 mortos no Japão

Tóquio e central nuclear de Fukushima escaparam de danos maiores, segundo autoridades

O Estado de S. Paulo,

16 de outubro de 2013 | 08h34

TÓQUIO - Um tufão matou 17 pessoas no Japão nesta quarta-feira, 16. A maioria das vítimas vivia em uma ilha da costa do país. A capital, Tóquio, e a usina nuclear de Fukushima, parcialmente destruída por um tsunami em 2011, não tiveram grandes danos.

Mais de 50 pessoas estavam desaparecidas após a passagem do tufão Wipha pela costa leste do Japão. Cerca de 20 mil japoneses foram orientados a deixar suas casas em consequência do perigo de inundações, e centenas de voos foram cancelados.

As mortes ocorreram na ilha de Izu Oshima, cerca de 120 quilômetros ao sul de Tóquio, após o transbordamento de rios. A tempestade desencadeou deslizamentos de terra num trecho de 2 quilômetros de serra. A tempestade provocou ventos com força de furacão e chuvas fortes sobre a área metropolitana de Tóquio, onde moram 30 milhões de pessoas, no auge da hora do rush matinal.

Uma mulher foi levada por um rio no oeste da capital e mais de 50 pessoas estavam desaparecidas, segundo o governo, incluindo dois estudantes levados pelas ondas em uma praia. Cerca de 20 pessoas ficaram feridas por desabamentos ou atingidas por detritos.

A Tokyo Electric Power Corp, operadora da usina nuclear de Fukushima, cancelou todos os trabalhos offshore e prendeu o maquinário enquanto a tempestade se aproximava.

A operadora, que tem encontrado problemas para conter vazamentos radioativos desde que um terremoto seguido de tsunami causou danos graves em 2011, não sofreu nenhuma problema com a passagem do Wipha, segundo um porta-voz. /REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
JAPÃOTUFÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.