Passagem internacional de Rafah volta a ser aberta

Milhares de palestinos que estavam no Egitoretornaram nesta sexta-feira à Faixa de Gaza pela passagem internacional de Rafah, informaram esta manhã fontes policiais da Autoridade NacionalPalestina (ANP). A passagem, a única via de comunicação da população de Gaza com o mundo exterior, estava fechada desde 25 de junho, após a captura dosoldado israelense Guilad Shalit por comandos de três facções palestinas. Os observadores da União Européia (UE) que supervisionam o trânsito de pessoas e mercadorias, segundo um acordo de novembro de 2005 entre a ANP e Israel, retornaram esta manhã a seus postos. Israel, que controlou a passagem fronteiriça até a retirada militar da Faixa de Gaza, em setembro do ano passado, cedeu a responsabilidade às autoridades palestinas. Mas estabeleceu comocondição que os funcionários europeus impeçam a passagem de terroristas, segundo os critérios dos órgãos de segurança israelenses, e de armas. Ainda não se sabe quanto tempo permanecerá aberta a passagem de Rafah. O Exército israelense continua promovendo incursões em diferentes pontos de Gaza, contra milicianos da resistência, paralibertar Shalit, ainda cativo. Os seqüestradores, pretendem trocar o soldado por prisioneiros palestinos reclusos em Israel. Também não foi descoberto ainda o paradeiro do jornalista Steve Centannin e do câmera Olaf Wiig, da rede de televisão Fox, seqüestrados em Gaza por militantes da organização Brigadas da SantaJihad. Eles exigem que os Estados Unidos soltem todos os presos muçulmanos. Fontes de segurança da ANP e do Movimento de Resistência Islâmica (Hamas) dizem que os seqüestrados se acham em poder de uma milíciado movimento nacionalista Fatah, informou em Israel o jornal "Jerusalem Post". O Governo do Hamas, assim como o presidente da ANP, Mahmoud Abbas, condenaram a ação dos seqüestradores, que há dois dias mostraram os jornalistas num vídeo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.