Passeata em São Paulo reúne 4 mil pela paz no Líbano

Cerca de 4 mil pessoas, de acordo com a Polícia Militar, se reuniram neste domingo em São Paulo em uma passeata de protesto contra a guerra no Oriente Médio. Com bandeiras libanesas e palestinas, camisetas com fotos de bombardeios, gritos de ?estado de Israel, estado assassino? e faixas de protesto, os manifestantes partiram da Avenida Paulista e foram até o Parque do Ibirapuera.?O objetivo é juntar não só as comunidades libanesa e palestina em São Paulo, mas também as entidades da sociedade civil brasileira que estão solidárias nesse momento em relação ao massacre que está ocorrendo no Líbano e que já ocorre há muito tempo na Palestina pelo Estado de Israel?, disse Soraya Smaili à Agência Brasil, uma das organizadoras da manifestação e presidente do Instituto da Cultura Árabe.Os manifestantes pediam o cessar-fogo imediato das Forças Armadas israelenses, a retirada do embaixador brasileiro em Israel e a não assinatura do tratado de livre comércio entre o Mercosul e Israel.O Comitê de Solidariedade aos Povos Árabes, organizador da passeata, já tinha realizado uma manifestação na Praça da Sé, que atraiu cerca de mil pessoas, e promovido dois outros atos de protesto em São Paulo, fechando o comércio em ruas movimentadas do centro por cerca de uma hora.O comitê é composto por mais de 20 entidades nacionais, entre elas o Centro Brasileiro de Solidariedade entre os Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz), a Confederação Árabe-Palestina do Brasil (Copal), a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a UNE (União Nacional dos Estudantes) e a Federação de Entidades Árabe-Brasileiras (Fearab).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.