Pastor israelense é morto por palestinos

Um pastor israelense foi morto por militantes palestinos enquanto ele tomava conta de seu rebanho, ao sul da Cisjordânia, informou hoje o Exército de Israel. Yair Har-Sinai, que vivia no assentamento judaico de Soussia, foi baleado e as pistas deixadas pelos assassinos levam ao vilarejo de Yata, controlado pela Autoridade Palestina. Um taxista palestino também foi morto hoje por soldados israelenses. Os soldados achavam que o palestino iria instalar uma bomba perto de um posto militar judaico na Cisjordânia. Ontem, a violência na região fez uma outra vítima: o israelense Avijan Aharon, 41 anos, foi morto a tiros à queima-roupa enquanto fazia compras num mercado nas proximidades da vila árabe de Baka al Gharbieh, em Israel, nas proximidades da Cisjordânia, informou o Exército judaico. Além disso, dois carros-bomba explodiram na manhã de ontem, a cerca de 500 metros um do outro, em dois diferentes estacionamentos na cidade de Yehud. Os explosivos, colocados nos porta-malas dos veículos, provocaram pequenos incêndios, estilhaçaram vidros de outros carros e danificaram um prédio. Um dos carros-bomba estava nas proximidades de um jardim-de-infância. Ninguém ficou ferido nas explosões. Os mais de nove meses de hostilidades já deixaram 507 mortos no lado palestino e 120 no israelense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.