Pastor sul-africano usa inseticida para ‘curar’ pessoas

Lethebo Rabalago publicou imagens em sua página no Facebook da prática; seguidora afirma que ‘foi curada’ graças ao produto

O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2016 | 09h31

JOHANNESBURGO, ÁFRICA DO SUL - Imagens de um pastor sul-africano jogando inseticida no rosto de alguns fiéis tem circulado nas redes sociais nos últimos dias. Lethebo Rabalago, da Assembleia-Geral Mount Zion, em Limpopo, postou fotos em sua página no Facebook em que ele lança o produto nas pessoas que vão aos seus cultos com o objetivo de curá-las de várias doenças, segundo a rede CNN.

Em uma das publicações, há uma frase - supostamente de uma das seguidoras de Rabalago - que diz: “Vim aqui com dor nas costas e no estômago. Agora, depois que o profeta espirrou o spray (inseticida) em mim, fiquei curada”.

Rabalago se recusou a responder às perguntas de repórteres da CNN sobre o caso. Nenhum representante da Assembleia-Geral Mount Zion foi encontrado.

Contudo, em uma entrevista a uma emissora de televisão sul-africana, Rabalago disse que Deus havia lhe dito para usar o tal inseticida - da marca Doom - e havia curado inúmeras pessoas com ele.

Em um comunicado à imprensa, a empresa Doom afirmou que acha a prática “alarmante e extremamente preocupante”. “Não é seguro jogar o inseticida Doom ou qualquer outro spray aerossol nos rostos das pessoas.”

A companhia ainda ressaltou que, se o produto entrar em contato com o rosto, a pele deve ser lavada imediatamente.

Muitos sul-africanos têm condenado a prática, usando as redes sociais para divulgar as preocupações com relação à saúde.

Tudo o que sabemos sobre:
África do SulReligiãoInseticida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.