Patriota diz que Mercosul negocia asilo a Snowden

O ministro de Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, afirmou nesta quinta-feira que os chanceleres dos países do Mercosul estão negociando os termos da concessão de asilo ao ex-técnico da agência norte-americana Edward Snowden, solicitado a Venezuela, Bolívia e Equador.

MARINA GUIMARÃES, ENVIADA ESPECIAL, Agência Estado

11 de julho de 2013 | 20h13

"A situação do senhor Snowden está sendo debatida. É possível que haja uma decisão à parte e estamos coordenando os termos desta decisão", disse o chanceler em entrevista coletiva concedida hoje, mas sem revelar o nome do país.

Na sede da Secretaria do Mercosul, Patriota também informou que os governos estão discutindo a declaração dos presidentes sobre "a decisão da não concessão de autorização de voo ao presidente Evo Morales", no último dia 2, por parte de França, Espanha e Portugal.

"Foi um fato inusitado porque atinge direitos de chefe de Estado de circularem livremente. Somos uma região que vivemos em democracia. É uma atitude inaceitável", afirmou.

Patriota disse que os chanceleres também negociam medida que será decidida pelos chefes de Estado que participam da Cúpula do Mercosul, de repudiar atos de espionagem, como os surgidos nos últimos dias.

"Há um consenso regional de repudiar tais atos e buscar uma forma de que os Estados tenham uma proteção e que os direitos à privacidade dos cidadãos sejam honrados", afirmou.

Patriota reiterou que o Mercosul atuará conjuntamente nos âmbitos multilaterais para empreender ações jurídicas contra a espionagem.

Tudo o que sabemos sobre:
MercosulespionagemSnowdenPatriota

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.