Paul O´Neill nega ter divulgado documentos secretos

O ex-secretário do Tesouro Paul O´Neill, envolvido numa disputa com a Casa Branca devido a duras críticas feitas à liderança do presidente George W. Bush, negou ter usado documentos secretos em seu novo livro. Reagindo ao anúncio feito pelo Departamento do Tesouro de que estava abrindo uma investigação sobre como um documento do órgão estampado "secreto" foi usado em sua entrevista na noite de domingo ao programa de tevê da CBS "60 minutes", O´Neill disse: "A verdade é que não levei nenhum documento".Falando ao programa da NBC "Today", O´Neill afirmou que havia consultado o conselho jurídico do Departamento do Tesouro sobre quais documentos poderia usar no livro "The Price of Loyalty" (O Preço da Lealdade).O´Neill, demitido por Bush em dezembro de 2002, afirma no livro que o presidente Bush estava concentrado em derrubar Saddam Hussein desde o início de sua administração, antes mesmo dos atentados de 11 de setembro. Segundo o livro, o processo de tomada de decisão na administração era muitas vezes caótico e nas reuniões Bush parecia "um cego numa sala cheia de surdos".Segunda-feira, Bush defendeu sua decisão de ir à guerra contra o Iraque. "A decisão que tomei foi a correta para a América" e para o mundo, considerou. Perguntado especificamente se era verdade que o planejamento da guerra teve início antes dos ataques de 11 de setembro de 2001, como afirma O´Neill, Bush respondeu que quando se tornou presidente ele herdou uma política de "mudança de regime" do ex-presidente Bill Clinton, e decidiu adotá-la.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.