EFE/ORLANDO BARRIA
EFE/ORLANDO BARRIA

Paz com  Farc renderá frutos econômicos e sociais, diz Santos

Líder colombiano participa da Cúpula de Desenvolvimento Sustentável em NY e defende assinatura de pacto com a guerrilha

O Estado de S. Paulo

25 Setembro 2015 | 16h31

NOVA YORK - O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, afirmou nesta sexta-feira, 25, que a assinatura de um acordo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) - previsto para ocorrer até março - renderá altíssimos dividendos sociais econômicos e políticos para a Colômbia. O líder colombiano está em Nova York, onde participa da Assembleia-Geral da ONU na próxima semana. 

"Meu país celebra e acolhe esses objetivos porque somos conscientes que são condições necessárias para a construção da paz", disse Santos ao participar da Cúpula de Desenvolvimento Sustentável da ONU em Nova York. "A Colômbia terá altíssimos dividendos com a paz, especialmente na economia, sociedade e no meio ambiente. Será um ciclo virtuoso."

Os líderes mundiais adotaram hoje na ONU um ambicioso programa de desenvolvimento para os próximos 15 anos, com 17 metas e 169 objetivos. A nova agenda tem como objetivo erradicar a pobreza, promover a educação e a vida saudável, além de combater o aquecimento global. O plano custará entre US$ 3,5 bilhões e US$ 5 bilhões até 2030.

"A Colômbia respondeu ao chamado por um amanhã melhor" acrescentou Santos. "O desafio é tornar esses avnaços irreversíveis."

Santos assinou na quarta-feira com o líder das Farc Rodrigo Lodoño, o Timochenko, o acordo sobre justiça transitória e reparação às vítimas.  A data limite para o acordo final de paz foi marcada para 23 de março. Dois meses depois,a guerrilha deve depor as armas. /AFP

Mais conteúdo sobre:
Farc Juan Manuel Santos ONU Colômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.