Paz com as Farc, segundo Bogotá

Governo colombiano faz documento para rebater o que chama de cinco mitos criados pela oposição

O Estado de S.Paulo,

18 Maio 2014 | 02h05

Os cinco mitos:

1. Vão entregar o país. Discurso completamente errado porque todos os pontos do acordo implicam reformas constitucionais e não que resultem em entregar às Farc as instituições do Estado.

2. Haverá redução das Forças Armadas. Afirmação totalmente falsa. A estrutura e o funcionamento das Forças Armadas foram excluídos das conversas de paz e, enquanto ocorre o processo de negociações, as Forças Armadas continuam operando.

3. Reforma rural afeta a propriedade privada. Os acordos pretendem viabilizar que moradores do campo sem terra possam ter mais terras por meio da criação do Fundo de Terras para a Paz e respeitando a propriedade privada. Serão afetados aqueles que ocupam propriedades ilegalmente, como já previsto na lei.

4. As conversas são clandestinas. A experiência mundial ensina que para essas negociações terem resultado é preciso um pouco de confidencialidade. Negociar usando alto-falantes frustra o processo de paz. Além disso, informes são publicados ao fim de cada ponto discutido e um possível acordo final será submetido a referendo popular.

5. Haverá impunidade para crimes contra a humanidade. O tratamento jurídico de quem participou de graves violações aos direitos humanos vai depender da disposição de cada um em reconhecer a responsabilidade e participar da reconstrução da verdade e reparação das vítimas. Além dos processos penais e do tempo de prisão, a luta contra a impunidade se concentra em revelar fatos, reparar vítimas e responsabilizar os que cometeram crimes. / TEXTO REDIGIDO PELO GOVERNO DA COLÔMBIA

Mais conteúdo sobre:
eleição na Colômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.